Viva Água


10 Março, 2018

Responsabilidade social na Semana da Mulher


Na Semana em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, a Viva Água fez um eficiente trabalho de responsabilidade social, divulgando, pelos meios de comunicação, os benefícios das atividades físicas à saúde e bem-estar das pessoas.

Por meio de participação em programas em emissoras de rádio e televisão e entrevistas para jornais impressos, os professores de Educação Física Denise Araújo e Eduardo Roberto da Silva desfizeram preconceitos ao demonstrarem as vantagens proporcionadas pelas atividades físicas a pessoas de todas as idades, dos bebês às de 100 anos, para gestantes e as que têm alguma situação de deficiência.

No programa Contraponto, da Rádio Timbira, emissora com grande audiência no interior do Maranhão, sobretudo na região da Baixada Maranhense, uma das mais carentes do Brasil, Denise Araújo demonstrou, por meio de uma linguagem fácil, os benefícios, mas alertou para os prejuízos que as atividades físicas podem trazer quando praticadas sem a orientação de um profissional ou em um local inadequado.

Na conversa com a apresentadora Maria Espindola, Denise Araújo chamou a atenção para que  as mulheres de todas as idades, em especial as idosas, praticarem atividades físicas, incluindo musculação.

No programa “Elas do ela”, na TV Guará, Denise Araújo mostrou que muitos preconceitos envolvendo a pratica de atividades físicas pelas mulheres foram quebrados. Hoje, elas estão nas academias fazendo inclusive atividades de levantamento de peso, sem perder a sua feminilidade.

Em entrevista à TV Mirante, Eduardo Roberto da Silva falou da pratica do crossfit para as crianças. Em uma página da edição de domingo do jornal O Estado do Maranhão, ele enfatizou a difusão de atividades físicas para crianças, idosos, grávidas e pessoas com diabetes, hipertensão, cardiopatia e limitações osteoarticulares.

O trabalho de esclarecimentos, por parte da Viva Água, dos benefícios da atividade física terá continuidade neste mês da mulher. Serão utilizados, principalmente, as redes sociais da Academia.

Veja entrevista de Eduardo Roberto Silva no Jornal do Estado do Maranhão

Top